Escola é outro negócio

Não apenas informar pessoas para uma profissão, mas formar pessoas para o trabalho e para a sociedade...

Escola é outro negócio!

É poder determinar a qualidade de futuro e o julgamento daqueles que se formam para esta sociedade. É resgatar pela educação, os valores de convivência e de confiança. É servir para que haja utilidade para a “pessoa” nesse nosso contexto de desenvolvimento.

Somos no maior segmento de negócios do país (e somos na missão mais pura de todas, pois atuamos na educação e na formação de pessoas para a cidadania).

Vivemos juntos o desafio da profissionalização da escola, da profissionalização da gestão e também o da profissionalização da difusão. Gestor é líder! Professor é líder e referência. Devemos, por obrigação, nos dedicar a resgatar a sua essência construtiva e ampará-lo em suas novas formações. Instigá-lo para o novo do mundo, para as novas formas de relação, para a tecnologia. Amparar esta formação numa bagagem ainda não estabelecida.

Vivemos hoje no papel de agentes de transformação da escola. Entendendo todas as suas hierarquias e importâncias, mas ansiosos pela troca e pela doação do lastro que fortalecerá o outro para o nosso “tudo”. 

Somos consequentes da administração e da gestão deste nosso negócio. 

Existe a escola, com a sua mecânica de dia-a-dia, mas também a gestão desta  escola, com a sua mecânica de vida-a-vida. O paradigma do marketing já foi vencido.

Nossa atualidade? Focar na gestão e no desenvolvimento das pessoas, mas não podemos nos esquivar do lucro.

Escola é pra dar lucro!!! E o lucro vem através das pessoas!!!

Não abram mão do lucro! Lucro é bom!!!

Devemos despertar em nós, à partir deste encontro, a paixão de quando iniciamos neste negócio, de quando todos éramos apenas meninos, de quando os nossos olhos brilhavam o nosso espírito.  

Será que foi perdido todo o friozinho que havia em nossas barrigas?

“Formar o aluno para que ele forme (ou reforme) a família e a sociedade”. Esta é a nossa melhor e mais bonita responsabilidade!

Somos gente prestando serviços para gente. São 200 dias por ano de convívio e de uma bonita confusão. Temos o cliente conosco e sempre por perto (e a probabilidade de conflito é imensa), mas isso não nos era desconhecido. 

Nossos alunos passam mais tempo em nossas salas de aula do que com as suas próprias famílias. É precioso ter e praticar todo cuidado.

Existamos pelo convívio e pelo feedback. Gestão de pessoas é isso, é saber dar voz às pessoas, e a conduzir os seus ideais.

Tenha cuidado com o afeto falso. Devemos praticar a afetividade verdadeira. Gostar das pessoas de forma legítima. Resgatar o aspecto da ética e saber cobrá-lo em nossas relações.

Algumas famílias chegam desestruturadas. Alguns alunos trazem consigo, mesmo que muito jovens, o sentimento do fracasso, e correm riscos por isso.

Pratiquemos a nossa gestão para que cuidemos daqueles que cuidam e preservam os nossos valores. Que multiplicam pelo próprio exemplo o modelo de sociedade que devemos destacar. Protejamos e eduquemos também os nossos colaboradores.

Sejamos proativos em nossas jornadas, pois a concorrência não está parada. Cuidado com a concorrência predatória e lutemos juntos por um sistema educacional menos colapsado.

Que a fidelização seja pelos nossos princípios e pela nossa qualidade. Posicione-se de maneira a diferenciar-se do todo, pela exclusividade, pelo poder de realização do outro.

Atuar na formação é o que nos vale. Ouça o seu cliente, ouça o seu aluno, ele lhe revelará traços da sua gestão, e que talvez você desconheça. 

Ouvir o seu cliente pode ser a consultoria mais barata disponível, e de maior valor para a sua escola.

Todas as nossas escolhas são como escolas. Deve-se insistir no caminho e no aprendizado de todas elas.

Que a união aprendida aqui seja praticada por cada um de vocês. Ela deve ser apreendida e amparada por todos aqueles que, à partir de vocês, multiplicam a sua missão e a qualidade da sua gestão. 

Ela deve ser transferida também aos alunos, às família e aos amigos, pois é esse o poder da tua escolha, o poder de moldar o mundo pelos seus princípios pela sua missão nesta vida que tens.

(Torcida)